Leishmaniose Visceral Canina: entenda e previna-se.

Atualizado: Abr 30


A Leishmaniose Visceral Canina é uma zoonose importante causada por um protozoário do gênero Leishmania. No Brasil, é transmitida por meio da picada da fêmea do mosquito-palha — um mosquito que pertence à família dos flebotomíneos. Esse mosquito é bem pequeno e se reproduz onde existe muita matéria orgânica em decomposição - também conhecida por lixo.

Pelo esquema do ciclo na ilustração ficou claro que o cão não tem culpa nenhuma de nada, certo? Ele pode ser picado por um mosquito que, no caso, é o vetor da doença. O cão se torna um reservatório e não poderá transmitir essa doença para ninguém. A não ser que seja picado por um mosquito e é esse mosquito que infectará um humano ou outro cão que picar. Por isso é um problema de saúde pública.


Antigamente era obrigatória a eutanásia do animal, mas isso é coisa do passado. Hoje existe tratamento para os cães com LVC. Este link do Conselho Federal de Medicina Veterinária deixa tudo bem claro sobre o uso do único medicamento válido para o tratamento: https://www.crmvsp.gov.br/site/noticia_ver.php?id_noticia=6933


Essa doença não tem cura (mas tem tratamento - lembre-se disso), tornando-se uma doença crônica. Por isso, é bem importante a prevenção.

E como prevenir?

A prevenção é feita combatendo o vetor, com a higienização adequada nas áreas externas das casas e não acumular entulhos de lixo, principalmente os orgânicos que servem de alimento para as larvas. Para os cães, o uso de coleiras preventivas e a vacina específica. O diagnóstico preciso é muito importante pois apenas um exame de sangue comum pode resultar num falso positivo.

Observe sempre os sintomas em seu dog que podem ser são perda de peso progressivo, lesões em pele (descamação, perda de pelos, feridas ulcerativas), crescimento exagerados das unhas, aumento dos gânglios linfáticos (linfonodos). Com esse sintomas, procure um médico veterinário o mais rapidamento possível para o diagnóstico e tratamento.

Mas em todo lugar pode se pegar LVC?

Essa doença estava concentrada em Estados do Norte e Nordeste e agora tem avançado para o Centro-Oeste, Sul e Sudeste do País.

Não é apenas o cão que pode se tornar reservatório mas também gatos, coiotes, raposas, gambás e outros mamíferos. Com isso, e a falta de cuidados de saneamento e controle do lixo, os mosquitos se proliferam e assim a doença se espalha.

É possível ter sucesso no tratamento de um cão com Leishmaniose visceral canina?


Sim, muito possível. Para quem não conhece esse dog é o Luau, que foi encontrado aqui próximo ao Château dos Bichos, recolhido por nós, tratado e adotado por uma pessoa de nosso time.


No Instagram @chupaleish dá pra saber mais dessa história de sucesso no tratamento. Hoje ele frequenta nossa creche e é o mais animado de todos. De qualquer forma a palavra é prevenção com coleira e vacina.



#leishmaniose #lvc #leishmaniosetemtratamento #medicinaveterinaria #leishmaniosevisceralcanina #sanimvet #zoonose




43 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo